terça-feira, Novembro 25, 2008

Sogevinus

Best Value for the Market
A chave de sucesso para qualquer produtor que mande umas caixas lá para fora.
Por 3 euros arranjam algum branquinho melhor que um Curva ou Kopke?
Se a resposta for afirmativa avisem-me.
91 600 51 00

Ah, e o melhor 40 anos que bebi ( também não foram assim tantos, 5 ou 6 no máximo, quantos são afinal?)... Tordiz da Burmester 40 anos. Uma estupidez de vinho. Enormeeeee

Agora bom bom... é o 1900. Sai do ultimo dia da Essencia do Vinho com um cheirinho no copo. Ainda o sinto. Awesome.

Isto é só um aperitivo para os vinhos que vou publicar da Sogevinus (Kopke, Calém, Burmester...Barros, Gilbert's, sim vou provar os Gilbert's... Falta algum?)
António Montenegro, the man behind the scene. É com ele a próxima Grande Entrevista, a minha... não a da RTP.

Aguarde por favor...

sexta-feira, Novembro 21, 2008

Bons vinhos na companhia do costume

São duas e meia da manhã. Cohibas acompanha-me.

Hoje a Joana fez exame de especialidade para Medicina.
Do mal o menos, há que festejar.

Eram 3 da tarde, ela fazia exame, eu stressava, bebericando ao lado do Seminario do Vilar, um Niepoort 80. Bom, perfeito para cortar o stress.

Em casa,
Bebeu-se um fantástico Branco dos Cozinheiros 2002. Mineral, reduzido, cheio de fósforo e pedra lascada. Por vezes lembrava lima e um pouco de toranja. A noite estava virada para o futuro, não para as recordações. Com o risotto de camarão marchou bem.

Em 2002 tudo começou, eu de 84, ela de 83...
Ferreirinha Reserva Especial 1984...
morto, licoroso, apagado, tal como o Cohibas, Forget!!

No forono está um Tournedó Wellington ( este Acer Aspire One tem um teclado lixado!!!)
Bebemos um Esporão Private Selection 2004 ( comprado na GN, thank you Chapim)
Bom, perfeito, madeira untuosa, integrada dizia eu... Cabernet bem maduro, era Alicante e Aragonês!! Fruta qb. equilibrio, esmerado para o momento.

Esmero 2002, ainda crú, virgem, selvagem, duro e puro. Nem o Gruyere, nem o som de Dead Can Dance o salvou. Pena te-lo aberto, um dos vinhos portugueses de 2002 mais brutal que provei.

Ah, esqueci-me de vos contar que mal cheguei a casa abri um Stag's Leap Riesling 1983. Americano, doce, versátil, inóquo, perfeito parao foie Imperia trufado. Obrigado Dirk pelo docinho... Tu tás lá....!

Amanhã, respirar fundo e olhar para o futuro. São só 6 anos de vida.

Como eu sempre ouvi...

"

Vou viver
Ate quando eu não sei
Que importa o que serei
Quero é viver


Amanhã
Espero sempre um amanhã
E acredito que será
Mais um prazer


A vida é sempre uma curiosidade
Que me desperta com a idade
Interessa-me o que está para vir.


E a vida
Em mim é sempre uma certeza
Que nasce da minha riqueza
Do meu prazer em descobrir
Encontrar, renovar, vou fugir ao repetir"



terça-feira, Novembro 04, 2008

Lisboa

A Dentista é uma artista
Do Cais do Sodré, há quem vá a pé
Na Junqueira não é prá bebedeira
100 anos do Dão é só para os que lá vão
Do Pé-Franco só não houve vinho branco
No Panascal ninguém esteve mal.
Em Belém tasse bem
Na Madragoa a vida é boa
No Bairro Alto foi um sobressalto
Na Praça de Espanha só não houve picanha
A Encarnação foi a minha salvação
Na Meta da Bairrada foi uma valente barrigada.


Nova Fil - Salão Erótico
Antiga Fil - Encontro com o Vinho e Sabores

A Antiga Fil foi a escolha já que na nova, pagava-se 20 euros e não se provava nada...
Os olhos tambem comem dizem uns, mas um creme de caril e gambas no Eleven por duas senhas de 2,5 euros não é todos os dias.

Muita coisa há a relatar...

O Vinho
Muitos e bons vinhos, espaço suficiente, sem cotoveladas. Não vou realçar nenhum vinho provado, pois seria injusto para outros. É certo que grandes vinhos se estão a fazer cá no país, e os nossos importadores não andam a dormir. Sinal positivo para a Decante Vinhos e Adega Algarvia que nos trazem grandes vinhos.

Os Sabores
Excelente iniciativa, afinal o que foi publicitado não correspondeu ao que se verificou. O estilo de cantina não este cá. Pela primeira vez tive contacto com a cozinha de alguns grandes restaurantes de Lisboa. Tive também contacto com o sabor amargo e desnecessário dos talheres de madeira. Enfim. Provei coisas fantásticas do Eleven, da York House e do Gemelli. Pouco, mas bom. Para comer de borla ia-se dar a voltinha às barraquinhas do Queijo da Beira Baixa e ao nosso amigo dos 5 Jotas.

Os Extras
Grande jantar no A Comenda, no Centro Cultural de Belém provou-se tudo o que há de novo da Burmester. Terminou-se com um grande 40 anos Tordiz e com uma Magnum de D+D debaixo do braço.

Rumo à Madragoa fui ter com gente boa. Bebeu-se Sol Lewitt, Fojo, Chateau Lafitte... Obrigado aos Luises.

Domingo, com a barriga a dar horas a UVA apareceu e salvou-me. Produtos Joselito, BomBons de Foie Gras, excelente bacalhau e um saboroso javali. Tudo isto com magnuns de Primeiras Vinhas. Delicioso.

Já pela A1, a paragem nos leitões foi o apogeu de 4 dias. Alves de Sousa, Quinta do Ameal e Casa de Cello estiveram a meu lado, bem regado a Água do Luso.