quinta-feira, Dezembro 11, 2008

Dois belos Douro's

Por vezes o estilo do Douro cansa. Por vezes é só fruta, por vezes é só alcoól. No entanto, por vezes encontramos alguns vinhos cheios de estilo, capazes de surpreender e de fazer grande figura à mesa.

Assim foi, escolhi dois grandes Grande Escolha.

O primeiro, o Oboé Grande Escolha Rótulo Preto 2005 é a última novidade da CVD, lá bem em cima em Carrazeda de Ansiães. Um vinho estruturado, cheio de vigor, aroma marcadamente químico e floral, com algum excesso de barrica. Esse excesso é bem amparado pelo aroma vinoso, que acaba por trazer algum equilíbrio.
Vigoroso na boca, potente e musculado, mostra uma boa dose de frescura com taninos muito maduros, presentes e mastigáveis. Acidez alta, fresca e mineral, proporciona um final de boca muito longo, cheio de classe e saboroso. Pede claramente calma e que o deliciem à mesa, com boa gastronomia regional. Uma feijoada ou uma boa posta de vitela no forno...
São pouco mais de 1000 garrafas de ombros largos embrulhadas numa bela caixa de madeira.
Nota 18

Dos Lavradores de Feitoria, o 3 Bagos Grande Escolha 2005 é um vinho sério, austero e muito clássico. Cheio de notas de chá preto, tabaco, alguma tosta da barrica e um profundo aroma a xisto assombram o nariz. Por vezes os aromas fazem lembrar veludo, elegante e cheio de nobreza. Por vezes um ligeiro toque de couro/animal transportam-nos para um vinho sóbrio mas impressionante. Na boca é profundo, denso, muito encorpado com a acidez perfeita, deixando o vinho sempre num registo fresco e refrescante apesar da sua grande estrutura. O final de boca, sedoso, com taninos luxuosos deixa-nos lembranças de fruto preto, algum exotisomo da madeira e ligeiro caramelo torrado.
Ontem ligou muito bem com um bife do lombo, mal passado na chapa, apenas tocado pelo sal. O puré de castanhas com trufa preta foi o acompanhamento. Perfect! Mas que vinho!
Nota 18,5

Para mim, foram ambos feitos para durar... Divirtam-se a beber para já os 2001!