segunda-feira, Janeiro 26, 2009

Paz e Aliança

Por vezes a ida à garrafeira torna-se um jogo ao estilo one shot. Escolher entre um vinho que sei que se bebe muito facilmente, aromas bonitos e atraentes e que quem está comigo o vai adorar e açambarcá-lo num ápice, ou então escolher um vinho mais clássico, com aromas menos agradáveis, que vai fazer as pessoas pensar antes de os beber. Ambos dão prazer, mas um é imediato e outro é preciso saber procurá-lo. É como uma rapidinha e o sexo tântrico.

Tirei do pequeno sono um Vinha Paz 2006 e um Quinta das Baceladas 2004.
Dois vinhos distintos no estilo, mas com grande nível e relação qualidade preço.

Vinha Paz 2006
No nariz, a presença da Touriga Nacional, bonita e delicada mostra-se logo. Violetas, alfazema, aromas químicos e muita jovialidade. O aroma acorda qualquer nariz mais preguiçoso. A madeira vem-se mostrando aos poucos, com alguma baunilha e ligeiros tostados.
Na boca bebe-se com muito prazer, com uma acidez perfeita, sem deixar o vinho caír num caldo tremendo de frutos bem maduros e flores comestíveis. Equilibrado, perfumado e com um final de boca médio. É esta a razão que faz com que os vinhos do Dão são os mais gastronómicos possíveis. Adoro beber este vinho com arroz de polvo, com bacalhau, com vitela estufada, com tudo!
Nota 16,5

Quinta das Baceladas 2004

Lote típico de Bordéus,Cabernet e Merlot mas temperado com Baga.
No nariz mostra logo uma austeridade e aromas menos bonitos. Pimento verde, pimenta preta e ligeiro toque de cinza. Alguma borracha e fruto vermelho também por aqui andam. É um nariz que lembra perfeitamente Bordéus, que pede tempo no copo. Complexo e profundo.
Na boca, envolvente e muito equilibrado, com uma acidez com carácter vegetal. Muito chocolate preto e ligeiros toques de fumo. Taninos ainda bem presentes, com um perfil que dará mostras de durar pelo menos uns 5 anos. Dá-me muito prazer cheirar estes vinhos e dissecar o seu estilo, não cansam, pedem um prato simples para deixar o vinho falar.
Nota 17

No final, a garrafa de Vinha Paz estava vazia, a de Baceladas estava meia cheia, ainda bem. No dia a seguir soube-me muito bem. Dois vinhos muito equilibrados, que podem evoluir em garrafa, mas que dão muito prazer a ser bebidos desde já. Andam ambos pela casa dos 10 euros.