quinta-feira, setembro 21, 2006

Serras de Azeitão 2005

Este campeão de vendas, quase nem precisa de apresentação.

Trata-se de um vinho da Bacalhôa, produzido a partir das castas Castelão, Aragonez, Merlot e Syrah, plantadas na Península de Setúbal com 13,5%.

Apresenta uma cor rubi escuro de boa concentração.

Com os frutos vermelhos a marcarem o inicio de prova, ameixa madura, cereja, melancia, com notas de borracha e ligeiro chocolate, tudo num perfil fresco e alegre.

Melhor no nariz que na boca, com taninos muito suaves, algo doce e guloso demais, apesar de apresentar uma componente vegetal, a fruta marca de novo a prova, com um final ligeiramente enjoativo e curto. Se não for bebido fresco ( 14ºC.), não cativa.

Ao preço de 2,5 euros, não é de rejeitar.

Nota 14.

5 comentários:

  1. O Santa Fé de Arraiolos 2005 custa menos e é melhor.

    ResponderEliminar
  2. caloiro302:41 da tarde

    Prefiro o Serras branco, é muito melhor.

    ResponderEliminar
  3. Sou relativamente novato nisto dos vinhos, mas achei curioso que esse vinho e o Santa Fé indicados no comentário anterior são de facto vinhos a que só acho piada se forem bebidos a 14ºC. Há alguma explicação técnica para isto ? Sempre foi assim, sempre houve vinhos tintos novos que devem ser bebidos a esta temperatura tão baixa (em relacção aos 16-18 do costume) ?

    ResponderEliminar
  4. A minha visão perante essa questão tem que ver com 2 pontos.

    1º O excesso de alcool que por vezes os vinhos têm relativamente à propria estrutura do vinho. Por exemplo se beber um vinho com 14,5% a 18ºC e esse mesmo vinho tiver muito pouca estrutura, só lhe vai aparecer alcool no nariz.

    2º O excesso de maturação, ou seja, vinhos tintos a puxar mais pro doce, em que a temperaturas na casa dos 17/18 podem tornar o vinho enjoativo e guloso demais.

    Claro que há excepções, mas a regra para mim parece ser, nos tintos:

    Vinhos "fracos" de estrutura, ou pouco encorpados- 14/15ºC

    Vinhos estruturados ou encorpados - 16/17 e mesmo 18ºC


    Talvez os vinhos italianos sejam os que mais fogem a estas considerações.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Respeitado Paulo! Muito obrigado por presentar os comentráios! Sou um russo e pelo mero acaso compreu uma garrafa de Azeitão na Russia. Eu gustei o sabor e procurava no internet alguma informação sobre este vinho e eu achei o seu página. Agradeço-o uma vez mais!

    Igor

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.