domingo, outubro 08, 2006

Quinta do Judeu 2004

Este próximo vinho da casa, pode ter pelo menos algo que nos une, pois o seu produtor também tem um Blog!

É um vinho de quinta, produzido com Touriga Nacional e Touriga Franca com um estágio de 7 meses em barricas de Carvalho Francês mais 6 meses de estágio em garrafa antes de vir cá para fora para o mercado.

O Quinta do Judeu 2004, com 14%vol. apresenta uma cor violácea brilhante, de boa concentração e muito jovem.
O nariz é marcado por um fundo extremamente balsâmico e perfumado, com boas notas de frutos silvestres, framboesas e amoras pretas, tudo num perfil fresco e alegre, remetendo a madeira para um segundo plano.

Na boca, o vinho apresenta um perfil rústico, com taninos presentes mas afinados, bom volume de boca, permitindo uma boa prova de boca, mantendo um perfil fresco com a acidez bem trabalhada, com um final ligeiramente curto. Melhor no nariz que na boca.
Mas o que está feito, está bem feito.

Nota 15,5

Preço 15 Euros

8 comentários:

  1. Fernando Rebelo12:59 da tarde

    Faz impressão ver 2 notas de prova do mesmo vinhos COMPLETAMENTE Diferentes. Quen tem razão? É por estas e por outras que ninguém acredita nestas e noutras notas de prova.


    Tonalidade granada escuro de média concentração com toque violeta.
    Nariz de média intensidade, o vinho mostra-se fechado e rigoroso, com a fruta negra escondida dando lugar a notas de mato seco, algum restolho, vegetal que se mistura com notas derivadas do estágio em madeira em (torrados, fumo), ainda se nota um toque químico com um tímido floral de fundo, conjunto muito concentrado e em bloco, fechado e austero, um pouco rústico que parece ter algo a dizer mas que fica mudo na altura em que devia falar.
    Boca a mostrar-se bem estruturado, fruto presente, ligeira frescura e especiaria com ligações a vegetal que se prolonga até um final ligeiramente balsâmico de boa persistência.

    Um vinho que foge a um perfil de elegância, não é exuberante mas sim fechado a sete chaves, tudo num conjunto algo casmurro e com a sua dose de rusticidade, ficando na dúvida se o vinho vai mudar com o tempo ou fica como está.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Caro Fernando,

    São notas de provas de facto algo diferentes, de provadores diferentes.
    Mas por um lado ainda bem que isso acontece.
    Significa que as informações que o nosso bolbo cerebral recebe têm descodificações diferentes!

    Não somos Robôts!


    Qual é a sua opinião sobre o vinho?

    ResponderEliminar
  4. Vinhos de Portugal 2007
    Página 120 Quinta do Judeu

    Reza a história que um crítico de renome, João Paulo Martins, entendeu que o Quinta do Judeu 2004 vinho provado em 2006, seria concentrado na cor e com uma evidente austeriedade, é um tinto cheio, algo rústico de aromas, ondem sobressaem as notas de erva seca, que suplantam a fruta.
    Diz também que é melhor na prova de boca, tem boa estrutura mas vai precisar sempre de um prato bem temperado por perto que equilibre este tom pouco polido que apresente...»

    Penso que pouco mais preciso de dizer ou escrever...

    Quanto ao ilustre Sr. Fernando Rebelo, gosto da maneira generalizada como dá a sua opinião, NINGUÉM ACREDITA NESTAS e NOUTRAS... de chamar a atenção que eu não lhe dei trela para responder por mim, e até agora parece ser o único que se queixa e mal ainda por cima, mas depois do que disse comecei a ter pena dos coitados dos críticos que andam a escrever notas de prova e depois ninguém acredita nelas... tempo perdido e tanta inteligência mal gasta.
    Curiosamente não o vi reclamar das diferenças de 17,5 da Blue Wine para uns 15,5 valores do Guia dos Vinhos 2007 de que o Versus 2004 foi alvo.

    Estes constantes oportunismos de comparação e conspiração, em tentativa de deitar abaixo, reparo que começa a ser costume por estas e outras bandas, será que a verdade se encontra apenas num santuário, qual seita ridícula de bajuladores, onde apenas os eleitos podem ser idolatrados ?

    ResponderEliminar
  5. Como é lógico, o JPM é um crítico de respeito e que percebe muito mais de avaliação de vinhos do que eu.

    No entanto, esta é a minha opinião sobre o vinho, que curiosamente foi provado no Restaurante O POLEIRO, recomendado pela RV na edição nº200, com 2 amigos meus que são titulares do Curso da Wine and Spirit Education Trust e um outro apreciador.

    ResponderEliminar
  6. Já agora, para constatarem a óbvia e salutar diferença de opiniões, visitem o site do conceituado crítico británico Jamie Goode, www.wineanorak.com, onde a crítica ao referido néctar, Quinta do Judeu 2004, é muito diferente das referidas...para não falar da nota, 89!!!

    ResponderEliminar
  7. "Quinta do Judeu 2004 Douro, Portugal
    Deep colour. Dusty, spicy extracted nose with sweet ripe red fruits. Primary palate with sweet bright fruit, some richness and fresh acidity, together with spicy dusty structure. It’s fresh and fruit driven, but quite extracted. It’s a bit hard to know where this quite primary wine is going. Almost Italian in style with a nice spiciness, and a good concentration of sweet fruit. Very good+ 89/100"

    Curiosamente esta nota de prova vai ao encontro da minha. Frescura, fruta, acidez!

    Ai ai... que os narizes e os palatos são tão diferentes!

    Saluto esta diferença de opiniões, aliás é por isto que existem críticos de vinhos e não um crítico de vinhos.
    Cada apreciador depois, terá que escolher o perfil que mais gosta!

    Quantas pessoas não gostam do perfil Parker?

    ResponderEliminar
  8. Fernando Rebelo11:46 da manhã

    Será que posso depreender pela resposta que deu, que compara a sua critica ás do João Paulo Martins,Jamie Godde e até ao Parker? Bestial, temos aqui um valor escondido e não sabiamos...

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.