sexta-feira, julho 13, 2007

Relato do Vinum Callipole 2007

Dia 7 de Julho, houve um Blog que teve a enorme coragem e determinação de organizar um evento no Alentejo. Ao que sei, penso ser o único evento dedicado ao enófilo que vai passar a existir naquela que é a maior região do país. Pois bem, esse blog foi o Copo de 3, e o homem que dá a cara ao projecto é o bem conhecido Alentejano de nome João Pedro Carvalho.


Gostei muito do local. Os Claustros do Convento dos Capuchos de Vila Viçosa são muito bonitos, e ao que soube é o único seminário a funcionar da arquidiocese de Évora. O Vinum Callipole 2007, na perspectiva do organizador foi considerado o ano ZERO, pois foi um pouco uma experiência e com vista a saber se valerá a pena continuar ou não. A meu ver, foi já o ano UM e de certeza que veio para ficar. Para o ano, talvez seja preciso rever a publicidade e tentar fazer numa hora mais fresca pois esteve imenso calor até as 19horas e foi impossível provar tintos, pois a vontade era de beber água fresca. Como elementos positivos tenho que registar sem dúvida os seguintes, ambiente acolhedor, o espírito do organizador, a presença de produtores de referência e o espaço disponível, não houve uma única cotovelada!

Por iniciativa minha e do João Pedro, acabámos por realizar uma prova de vinhos brancos. Foi uma tentativa de Volta ao Mundo. Provámos vinhos de Portugal, Espanha, França, Itália, Austrália, Nova Zelândia, Chile, Áustria Foram convidados enófilos amigos, distribuidores e alguns enólogos para a prova. Levei cá do Norte, com a cooperação da UVA, Niepoort e da Companhia de Vinhos do Douro alguns vinhos para a prova. Estiveram também variadíssimos queijos e pão da Confraria do Pão.

Os claros vencedores do painel constituído por cerca de 20 vinhos foram:
Tiara 2006
Redoma Reserva 2006
Gaja Rossj 2003
Cape Mentelle 2004
Amantis Branco 2006
Conceito 2006

9 da noite, altura de sentar à mesa. Muitíssimo bem composta, com enchidos regionais, um cação de coentrada muito harmonioso, e carne do alguidar com 3 migas à altura. Houve clima para os produtores e enófilos darem a prova este e aquele vinho e tempo foi algo que houve, mau era, estávamos no Alentejo. Os vinhos foram muitos e bons. Não tive vergonha nenhuma de ir buscar uma champanheira enorme de inox e enchê-la de gelo para que se conseguisse beber tintos a 16 graus.
Das muitas amostras e novos vinhos que provámos à mesa marcaram-me os seguintes:
Alves de Sousa Reserva Pessoal branco 2003, Chateauneauf duPape Domaine du Pegau2004 Cuvée Reservée, Batuta 2003 ( Double Magnum 3 litros), Quinta da GaivosaVinha de Lordelo 2005, Odisseia Reserva 2005, Syrah 2005 da Herdade das Servas. Para as sobremesas, sericaia e enxarcada, regadas com dois vinhos Niepoort, um fantástico Vintage 2005 e um Colheita 1991.

Por último, e estando num seminário, houve que agradecer ao Convento. Um leilão muito animado, pelo menos o sino fartou-se de tocar, onde se juntou alguma dinheiro para doar. Lembro-me de um lote valer uns 150 euros, e uma garrafa vazia de 3 litros ser vendida por 65 euros. Resta-me dizer que valeu bem a pena os 900 kilometros que fiz que para o ano lá estarei. Agradeço ao Alentejano pelo dia que nos proporcionou. Deixo também os agradecimentos à UVA, Niepoort, Tasca do Joel e CVD Vinhos do Douro pelos vinhos que forneceram.

1 comentário:

  1. Pedro Sousa P.T.7:07 da tarde

    Boa homenagem feita ao copod3. Pelos que li a organização foi excelente. Parabéns para ele, e para todos os participantes corajosos de enfrentar o calor Alentejano.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.